PROJETO AMBIENTAL

PROJETO AMBIENTAL CRIANÇAS DO DEDO VERDE

Era uma vez um menino que vivia numa linda mansão, onde tinha empregados que realizavam todas as tarefas. Seu pai era dono de uma fábrica de "canhões". O menino gostava muito de animais e os tinha como seus melhores amigos. Ele chamava-se Tistu.

Chegou o dia em que o menino tinha que ir para a escola, seus pais o levaram para a melhor escola, porém ao entrar na escola algo não dava muito certo, todos os dias ao entrar na sala de aula o menino adormecia.

Depois de algum tempo de insistência, os pais optaram por retirar o menino da escola resolvendo que quem ia lhe ensinar as reais coisas do mundo eram os empregados.

No dia seguinte começaram com a aula de jardinagem, onde o jardineiro mostrou-lhe tudo e pediu que o menino enchesse os vasos de terra e com o polegar fizesse uma covinha. O menino realizou a tarefa e para surpresa do jardineiro, mesmo sem as sementes os vasos ficaram totalmente floridos.

Isto fez com que o jardineiro descobrisse que o menino tinha o "Dedo Verde", não de cor, mas de poder. E este virou um segredo entre o menino e o jardineiro.

Nos dias que seguiram, o menino descobriu que onde ele tocava com o polegar, as coisas floriam. Neste momento o menino começou a sair para ver como eram as coisas fora de sua linda casa, neste novo mundo se deparou com muitas situações desagradáveis.

Foi visitar um hospital e encontrou em um quarto sozinha uma menina doente que não conseguia andar e que não tinha ninguém para lhe fazer companhia. O menino começou a pensar no quanto aquele quarto deprimia a menina e logo começou a esfregar o polegar pelas paredes e foi embora. No dia seguinte o quarto estava maravilhoso, totalmente florido e perfumado, e a menina estava mais alegre, entusiasmada com a vida.

Em outro dia foi visitar a favela, lá encontrou muitos casebres, onde o esgoto estava a céu aberto, exalando mau cheiro. Tudo era muito pobre... Sem que ninguém percebesse, o Menino passou o dedo pela lama do esgoto e também ao redor dos casebres. Logo tudo floriu.

No dia seguinte ao acordar ouviu as pessoas comentando que muitas coisas estranhas estavam acontecendo pela cidade... tudo floria sem saberem como, e que por isso estudiosos viriam para a cidade na tentativa de descobrirem porque estavam ocorrendo aquelas situações.

Na sua caminhada, ao conhecer o presídio, o menino chegou à conclusão de que se aquele lugar fosse mais claro, mais bonito e tivesse um cheiro bom os presidiários iriam cumprir sua pena, de forma mais tranqüila, sem tentar fugir. Eles também poderiam se transformar em pessoas boas, que não cometeriam mais crimes. Assim foi passando o polegar nas salas, muros...por todos os lados do presídio. Ao amanhecer todo o presídio estava florido e muito bonito.

Certo dia ao chegar em casa ouviu seu pai falar sobre a guerra que estava acontecendo entre duas cidades e que a sua fábrica é que iria mandar os canhões para a guerra. O menino ficou muito triste e resolveu fazer alguma coisa para acabar com a guerra. Pensou...pensou e chegou a uma conclusão: se ao invés de balas, saíssem flores dos canhões tudo ficaria melhor e todos viveriam em paz. Foi o que ele fez, foi até a fábrica, no setor das balas e fez com que no lugar delas saíssem flores.

Quando seu pai recebeu a notícia que seus canhões que foram para a guerra não matavam ninguém e que eles levavam a paz para aquelas cidades, ficou furioso, pois sua empresa estaria destruída, falida, pois ninguém mais iria querer comprar seus canhões floridos.

Então o menino resolveu contar que havia sido ele que tinha semeado todas aquelas flores em todos os lugares inclusive na fábrica.

Depois de pensar durante semanas o que fazer, seu pai teve a grande idéia de transformar a Fábrica de Canhões em uma linda Floricultura. Esse novo negócio teve muito sucesso.

Depois de ter feito muitas coisas boas, o jardineiro faleceu e o menino recebeu a notícia, o que o deixou muito triste.

Ao acordar no dia seguinte, vestiu-se com um camisão branco, foi até o jardim, passou o polegar entre as duas árvores, construindo uma grande escada. Deu um "tchau" pro seu amigo pônei, tirou o chinelo, deixando-o na grama, escreveu ao lado que era um "anjo", subiu as escadarias e...foi parar no céu...


TOP